sexta-feira, junho 09, 2006

The most beautiful girl in the world


"Ia eu a dizer que meu filho (...) se apaixonou por uma rapariga chamada Clara Perlerina (...). A moça, diga-se a verdade, é uma outra que tal pérola do Oriente. Vista pelo lado direito, parece uma flor dos campos; pelo lado esquerdo, não é tanto assim, porque é cega do olho que lhe saltou fora com as bexigas. Os sinais que lhe deixaram no rosto são uma infinidade e grandes, mas, louvado Deus, dizem os que lhe querem bem que aquilo não são covas, mas antes sepulturas em que se sepultam as almas dos suspirantes. E tão asseada que, para não sujar a cara, tem o nariz a tal ponto arrebitado que dá ideia que vai fugir à boca. Mesmo assim, é uma perfeição com aquela boca rasgada, a qual, se não lhe faltassem entre dez a doze dentes da frente e dos lados, bem poderia ser modelo de todas as mais. Dos lábios não há nada a dizer. São, com efeito, tão finos e delicados como morcelas e na cor diferem de quantos há, jaspeados, como se afiguram, de azul, verde e violeta. (...) se conseguisse pintar a esbelteza do corpo à mocinha e a elegância, dera asas à admiração. Mas não pode ser. E não pode ser porque está sempre acocorada e encolhida, os joelhos com a boca. Com tudo isso, se se pudesse erguer, batia com a cabeça no tecto. Também já teria dado a mão de esposa ao meu bacharel, se a pudesse estender, mas não pode que a tem tolhida. Pelas unhas compridas e acanaladas se dá a matar o belho talhe que teriam."


-Assim se dirigia o lavrador de Miguel Turra ao senhor governador Sancho Pança, decorrido que ia o capítulo XLVII do 2º Volume de D. Quixote de la Mancha.

Olé.

1 comentário:

moonj_Rita disse...

Dom Quixote foi um dos livros da minha infância...o que eu gostava das aventuras dele com Sancho Pança.