segunda-feira, setembro 11, 2006

Quando a Fé chocou com o Império...


Se não for sempre a Fé a que se centra na essencial divindade do Homem,
e se se deixar que o Império arraste a sua asa nas asperezas da competição e do lucro,
não há possivel irmandade entre os dois,
e a mácula inevitável acabará por cobrir de negro o céu inteiro.

Agostinho da Silva, in Fantasia Portuguesa para a orquestra da História e do Futuro (ou das lições de Portugal ao Mundo) 1982

2 comentários:

Ernesto disse...

bem vindo, filósofo da treta.

cbs disse...

:)))
descobres-me a careca!