quinta-feira, fevereiro 16, 2006

Pontos.

Ponto 1.
Tendo presente o complicado contexto em que se insere qualquer comentário político-religioso-jocoso no momento actual, queria desde já pedir as mais sinceras e apologéticas desculpas pelo despropositado post que encontrou caminho até este pasquim. A Cantina é um espaço de liberdade, mas o seu criador acredita nessa linha ténue que separa as massas: o bom senso. Desde já aviso que me penitenciarei para todo todo todo todo todo o sempre.
Bane-se assim deste mural, desta missiva em capítulos, qualquer tipo de conteúdo irónico que venha a assolar a liberdade individual de cada um.
Olé.

Ponto 2.

Killing an Arab


Standing on the beach
With a gun in my hand
Staring at the sky
Staring at the sand
Staring down the barrel
At the arab on the ground
See his open mouth
But I hear no sound
I'm alive
I'm dead
I'm a stranger
Killing an arab
I can turn
And walk away
Or I can fire the gun
Staring at the sky
Staring at the sun
Whichever I choose
It amounts to the same
Absolutely nothing
I'm alive
I'm dead
I'm a stranger
Killing an arab
I feel the silver jump
Smooth in my hand
Staring at the sea
Staring at the sand
Staring at myself
Reflected in the eyes
Of the dead man on the beach
The dead man on the beach
I'm alive
I'm dead
I'm the stranger
Killing an arab


Killing an arab , The Cure


É uma música muito melódica.
Gosto muito.

2 comentários:

Maria Pedro disse...

Ave!

Idem!

Freddy disse...

Assinaste a tua sentença... Faz a trouxa e prepara-te para fazeres como o S.Rushdie que anda de iceberg em iceberg...