sábado, setembro 03, 2005

Babilónia

Na cultura hebraica, a torre de Babel é usada como a alegoria que representa a vontade de chegar perto dos céus, da criação ou do Senhor; materializa a prepotência do humano, que insiste em medir forças com o seu criador, criando os "Portões de Deus".

A Babilonia é usada no novo testamento como referência a Roma, ao império, ao poder da opressão da corrente dominante, que mantem o mundo sobre pressão e agonia constante.

A torre caiu. Roma caiu. Napoleão caiu. Espanha caiu. Os austro-húngaros caíram. Os czares caíram. Estaline caiu.

A história não é determinística ( recuso-me a aceitá-lo), mas bem poderá ser cíclica. Repete-se, repete-se, mas tal e qual como um mau aluno, o humano corrente, o que vive nesta época, recusa-se a aceitar as suas lições. Paciência.

Esperemos que o próximo império caia, mas que faça pouco barulho.

2 comentários:

cbs disse...

A História não é determinada pelos astros ou pelos deuses (não e´determinista), mas é como na nossa vida;
há coisas que se repetem, e a nossa obrigação é aprender e alterar o percurso.

Daí que: a História repete-se, mas nunca da mesma maneira.

amigos disse...

Problema foi a lingua, deixaram de se entender... um pouco como nós, os humanos. E, já agora babel( بابل ), o sitio onde ficam as ruinas da babilonia, lugar para onde os ventos atiraram os construtores da torre... fica, curiosamente no iraque, será...
Toda a verdade em http://en.wikipedia.org/wiki/Babel!!!
Abraço
Desculpem a maçada:)