quinta-feira, novembro 24, 2005

Alegres contradições:

In Público, 24/11/05

Público - "(...)Continua a pensar que a sua candidatura faz sentido, que vai mobilizar o eleitorado de esquerda e vencer as eleições numa eventual segunda volta?

Manuel Alegre- "Não se trata só do eleitorado de esquerda. Uma candidatura presidencial dirige-se a todo o eleitorado e os dados mostram que havia espaço e necessidade de uma candidatura como a minha. Claro que sou um homem de esquerda e o meu objectivo é mobilizar a esquerda, mas dirijo-me a todo o eleitorado que se reconhece nos valores da liberdade e da democracia."

Público- "Mas considera que existe algum candidato que não corresponda a esses valores?"

M.A.- "Não. Isso está ultrapassado. São fantasmas e papões que devemos enterrar. Há diferenças na leitura do funcionamento do sistema político, da situação do país, da situação de Portugal no mundo. Há concepções diferentes sobre o que deve ser o papel do Presidente da República. Mas todos os candidatos respeitam os valores democráticos que estão consagrados na Constituição."

12 comentários:

rjm disse...

(!!!)
Mas o povinho, no fim, vai dizer, "ai o senhor falou tão bem, mas não entendi nada".

Naked Lunch disse...

foda-se... ainda bem que sou anarca...

Gio disse...

como é Ernesto, tem espaco pra um sistema de democracia eletronica nesse pais ou nao? voltei da UNESCO... heheeheh...

moonj_Rita disse...

Que contradiçãozita não? Apesar de eu admirar muito o personagem e simpatizar com ele, admito que se enterrou um bocado.
Em relação às diferentes ideologias entre partidos de esquerda e de direita, eu considero que no fundo existem apenas duas correntes políticas diferentes: as extremas. De resto vai dar tudo ao mesmo com o agravamente de só estarem bem a dizer mal uns dos outros (ou seja, de si mesmos).
Ainda ontem alguém perguntou a um membro do governo se aviões da CIA tinham aterrado em aeroportos situados em Portugal, ao que a resposta foi " se aterraram só se foi no governo anterior": valha-me Deus! Resolvam os probemas não falem das merdas das oposições!

amie disse...

mas qual é o stress com os aviõezinhos da CIA?

Mimas disse...

o problema é que os voos são secretos, se são secretos ninguem pode saber, e se ninguem pode saber quando se sabe é um problema...

de qualquer maneira o director da cia deve ser chamado "já!" á assembleia para prestar esclarecimentos!

cbs disse...

Ó Ernst
na tou nessa discussão, mas...
onde está a contradição?
o homem diz que é de esquerda, quer mobilizar a esquerda.
isso impede-o de se dirigir aos outros?

Já na segunda; sobre todos os candidatos aceitarem os valores da Democracia (parlamentar), não vejo contradição, mas discordo.
Nem o PC, nem o Bloco (estes menos visívelmente) se reveem nesses valores, e por isso interpretam a constituição à maneira deles; o que se vê na campanha.
E a diferença, neles, é absoluta se falarmos no sistema económico, que queiram ou não, se conjuga com a Constituição.
Na Constituição não cabe uma economia planificada pelo Estado.

Mas a eleição é pró presidente, carago!
mais nada...

Ernesto disse...

Alegre diz: "dirijo-me a todo o eleitorado que se reconhece nos valores da liberdade e da democracia"

depois diz:"Não. Isso está ultrapassado. São fantasmas e papões que devemos enterrar (...)Mas todos os candidatos respeitam os valores democráticos que estão consagrados na Constituição."


No seu discurso é sintomático o uso de palavras como "democracia", "pátria", "liberdade"; ele diz que representa esses valores, mas seguidamente afirma que devemos enterrar essa discussão;


no fundo, Alegre luta contra o fascismo mas admite que o fascismo não existe.

Essa é a contradição.

Alguns homens, quando se vêem perdidos na meia idade, compram ferraris, tentando compensar tempos idos; Alegre compra revoluções e inimigos imaginários e assenta a sua luta em palavras como "Pátria"; belas palavras, mas que podem ser tão frias quanto os números dos economistas.

Mais nada.

cbs disse...

"Não.
Isso está ultrapassado.
São fantasmas e papões"
Trad.:
Não.
Já não existe Fascismo.
É uma fantasia (do PC)

Alegre LUTOU (JÁ NÃO LUTA) contra o Fascismo.
Hoje considera isso ultrapassado e refer todos como adversários políticos no campo democrático.
Diz que o medo do Fascismo é um papão.

Portanto considera que existe uma esquerda, um centro e uma direita, MAS DEMOCRÁTICAS (no sentido Ocidental).
Já disse que não concordo com ele no que respeita ao PC.

No fundo Alegre aceita o jogo democrático, dizendo-se do lado esquerdo; e a esquerda democrática (a social democracia) integra os valores da Pátria quando ligados à Liberdade.
A diferença com a direita democrática situa-se, não nesses valores, mas mais no domínio económico, mais estado ou menos estado; e aí creio que também discordo dele, apesar de ser social democrata, sou por menos estado.

Mai nada

PS: e tás a conseguir a fazer-me falar demais :)

Ernesto disse...

meu caro...
"valores da pátria" tinha o senhor Paulinho das feiras. Talvez não tivesse uma voz tão grossa, ou um porte tão nobre (à Hemmingway) como o poeta tem;

A REALIDADE não sucumbe às palavras; nunca votaria num candidato que assim se define:

"Portugal "contará pouco no mercado económico, mas vale muito no mercado da História, da cultura e da língua", sustentou Alegre, para quem, "mais do que falarmos em armas e guerra, quando se fala de defesa da nossa soberania, importa, como disse Cervantes, falarmos do tesouro do uso, que é a defesa da língua"."


"Alegre alertou para o facto de que "sempre que há uma situação de crise e de confiança, regressa-se a Camões"."

Um presidente não é um primeiro ministro, certo; mas não pode ser um autista literário, cuja candidatura não passa de uma tautologia.

E acredita que eu gostaria de votar no Alegre. Ele é que não me deixa.

cbs disse...

Ernesto
Em matéria de voto, acho que não deves fazer fretes a ninguém.

Vou-te explicar como penso.
Venho do tempo em que não se votava, e em que quando raro isso acontecia, não havia alternativa onde colocar a cruzinha.

Por isso, considero o voto um direito e um dever simultaneamente.
Votarei sempre, ainda que em branco (se não confiar em nenhuma candidatura).

Posto isto dir-te-ei que votaria em qualquer dos candidatos, exceptuando o Louçã, e o mestre Gerónimo; não ponho em causa a honestidade de nenhum, emprestava o carro a todos.
Falo de política.
Só.

Agora, esta história de que se têm que dar a conhecer, não tem grande sentido.
Os portugueses tiveram o Cavaco 10 anos e o Soares por mais tempo ainda;
já os conheçemos de gingeira.

Portugal democrático deve muito a Soares, em especial o comício da Fonte Luminosa, que começou a conquistar a rua ao PC e extrema esquerda, e mais tarde a candidatura À Europa da CEE.
Devemos-lhe isso.
Mas não o posso aturar com a soberba mania das magistraturas de influencia. Ou da influencia, touto court.

Quanto ao sr. Silva, vi o que fez com Freitas do Amaral e com CDS (estive lá).
Sei como gere as coisas e não aprecio a posição por cima dos partidos, em que se colocou sempre; Salazar também era assim, pairava por cima, tinha horror às discordancias que são a essencia da democracia parlamentar.
Lamento, mas não confio no sr. Silva, e menos ainda na "entourage" que sempre aparece com ele.
Mas aceito ambos, cumprem as regras e não são de lesa Pátria.

Já agora, a Pátria.
Não me cansarei de dizer que é a História, a Língua e a cultura comum que gera os nossos valores e uma "mundovisão".
Pode significar Liberdade e Solidariedade, ou pode ser utilizado para a diferenciação e exclusão dos outros, qu resulta sempre em agressão; mas não é uma coutada de ninguém;
é sim a base em que assenta o Estado: um sentimento nacioanal.

Quanto a Alegre, não o quereria como primeiro ministro, mas acredito nele como àrbitro e guarda das regras (funções essenciais do presidente).
Ele é do tempo em que a um homem chegava a palavra.
Confio na sua integridade.

É tudo o que, de momento, se me apresenta dizer ;)

Boa noite Ernst
Vou ouvir o expresso da meia noute.

cbs disse...

"sentimento nacio anal",
como que de "absorção", lol

mil desculpas, não era isto que queria dizer;
esta língua é lixada, lixada...

:)))