sábado, novembro 26, 2005

Tribunais espelham realidade Portuguesa

Numa tentativa de melhorar a representatividade do país, 97 tribunais foram classificados de deficientes ou de produtividade baixa. A respeito deste assunto, Souto Moura, Procurador-Geral da República, congratulou-se pelo trabalho feito: “As instituições portuguesas têm de reflectir o país em que se inserem; a nojice do nosso sistema judicial é um tributo à democracia! Seremos medíocres até que a Pátria nos indique o contrário!”. Souto Moura espalhou também elogios ao sistema de saúde nacional e à Administração Pública em geral, por “serem os verdadeiros percursores deste movimento democrático e justo”. Um juiz que passava, coçando os genitais escondidos pela toga, pediu mortalhas ao “mano soutinho”, e avisou que ia lá fora, “fazer esse” enquanto o júri se reunia: “não tenho pachorra para esses cotas”, disse o juiz. De liamba em riste, Souto Moura afastava-se, gritando “É a jurisprudência da nação! Nós somos o que o povo for! Alguém tem algo que se trinque, por aí, manos?”

2 comentários:

Carlos disse...

Ernesto, não sei quando, porque tenho estado fora das lides, mas lá que entraste na Adega do Olho, entraste! Um abraço.

moonj_Rita disse...

O Carlos tem razão. ultimamente tens atacado em força e atacado assuntos importantes do estado na Nação.