sexta-feira, novembro 11, 2005

Suicídio em Barcelona, parte III – os espectadores

Várias reacções se sucederam nas mentes da atónita assistência.
Os que abundam em sabedoria, qualidade inversamente proporcional aos anos de vida que carregam consigo, nem sequer questionaram o sucedido. “Um sonho”, pensavam; “nada me fará rejeitar a minha lógica” enquanto enfiavam na bucha uma baguettina catalã.
Os fantasistas aproveitaram para reforçar a já pouco objectiva visão que detinham da vida.
Os intérpretes decifravam a visão, à cata de analogias; o super humano, a capa doirada que esconde a ferrugem, o paradoxal sofrimento da máquina… nada os detia na crítica. Eram brilhantes, sabiam-no.





E Colombo.
Esse observou tudo da outra margem, por entre as árvores. Apontava o dedo para onde sempre apontou – era a sua única certeza. Ninguém lhe registou um comentário sequer.

6 comentários:

idance disse...

Enquanto não há um post a assinalar a data lá terá de ser neste... Happy Birthday mr.ernesto

moonj_Rita disse...

Está não vale ;)

noasfalto disse...

Tá certo...
Abraço

Naked Lunch disse...

... os caçadores afinaram a pontaria... pá pá pá.

Aniversário??? Sai um bolinho...

Mimas disse...

dodos

era na mauritânia.

Mimas disse...

mauricias, na mauritania há deserto