segunda-feira, novembro 07, 2005

Suicídio em Barcelona, take 1 : o desespero




-Bairro Gótico, Barcelona
No topo de um qualquer edifício, desses que povoam a bela e arisca capital da Catalunha, C3PO, conhecido robô, ameacava tirar a sua própria vida. Uma multidão reuniu-se para observar a morte de um ícon; o bravo e admirado cidadão da comunidade robótica desmontar-se-ia todinho, saltando daquele edifício. Num sotaque britânico bem oleado, o sujeito questionava-se sobre o destino que lhe havia reservado a cruel e vil vida.
Ernesto, que se encontrava pelas calles catalãs trauteando uma bem engraçada melodia, registou o discurso do suicida:
"(...)Lucas não seria nada sem mim! Fui EU o ícone de uma geração! Futurista que nem o Almada, o coupé de todos os robôs! O expoente máximo da criação humana! Lucas usou-me... partilhou comigo a sua visão e eu, um inocente robô de elevada estatura mas baixíssimo nível de inteligência emocional, revi-me nos seus sonhos. Lucas disse que eu seria o seu homem-máquina, qual Chaplin em "Tempos Modernos"! O revelador da condição social da ignóbil burguesia! Seria a crítica de Lucas para com os eloquentes literados, cujo léxico é muito, mas cujas ideias são parcas e vazias, esses autómatos-cuspidores-de-chavões! Eu reflectiria os estéreis críticos de Star Wars; EU seria o isco de Lucas! As atenções concentrar-se-iam em mim, para que o filme fosse filmado com a serenidade e tranquilidade necessária... mas ninguém foi capaz de entender a profundidade e crítica social que C3PO adicionou ao filme, uma personagem satírica e incitadora à revolução; eu fui o palhaço sacrificado perante as câmaras, para que Lucas pudesse pintar os seus críticos sobre a forma de C3PO, um robô dourado e vazio, que se apoiava no seu sotaque "cockney" para revestir as suas palavras de legitimidade... E depois deste inglório sacrifício... JAR JAR BINKS, um cavalo-marinho-alienígena-com-um-defeito-na-fala?!?!Um ícon como eu próprio não pode aceitar tal tratamento! A lógica de mercado e a tentativa de abrir o filme a um público mais jovem não me coube como desculpa! Para os ícons há sempre espaço! Assim sendo, despeço-me. Desmontar-me-ei deste mundo. Adeus, caros concidadãos, e que viveis em paz sem a minha eloquência e bom trato".


To be continued...

5 comentários:

Naked Lunch disse...

...boa!

Brazilian disse...

posso aparecer pra janta ?

noasfalto disse...

Ah Barcelona...!

Miguel de Terceleiros disse...

Manda continuação!
Posso aparecer para a janta também?!

amie disse...

o mundo não será o mesmo.